sexta-feira, 21 de março de 2014

Fenômenos Astronômicos – Lua de Sangue ou “Blood Moon”


A foto acima foi obtida por Gério Ganimedes no dia 12 de fevereiro de 2012, através das lentes do obturador digital de uma câmera Canon de 8 MP em ajuste de longa exposição. A coloração avermelhada da Lua nesta foto, a título de exemplo, é a mesma do evento da "Lua de Sangue", mesmo não estando ainda cheia, e marcada no calendário de eventos astronômicos. 



Por Gério Ganimedes


"Apareceu no céu deslumbrante, contrastada pela túnica negra e aveludada da noite, vestida com uma singular e atípica cor âmbar, como se lavada de sangue". 

Questionado por leitores, sobre uma matéria que circula pela malha da Internet, que fala das “sinistras Luas de Sangue” ou Luas Vermelhas, segui minha linha de pesquisa tradicional para tentar explicar aos meus leitores, através de uma linguagem mais simples, o fenômeno que para alguns tem um significado ruim e de maus presságios. Ao longo da história os astros receberam títulos relacionados a acontecimentos históricos, deuses da mitologia, etc. A lua não poderia ficar para trás, e passou a receber nomes como “Lua Azul ou Blue Moon” (que é quando ocorrem duas luas cheias em um mesmo mês). Este tipo de designação é muito difundido nos EUA, Canadá e Europa. Outros nomes que nosso satélite natural recebeu, tem ligação com os meses do ano ou as estações (veja Tabela 1 logo abaixo) relacionados também com períodos de plantio e colheita. Um dos nomes mais famosos da nossa lua é “Lua do Caçador”. É a lua cheia, imediatamente após outra, que é a lua cheia que ocorre mais próxima do equinócio de outono. A “Lua do Caçador” é também chamada às vezes de “Lua de Sangue”. Aqui aparece o termo, que está diretamente ligado à condição astronômica e atmosférica. Por estar muito próxima a linha do horizonte e manter uma relação mais íntima com o observador, ela destaca-se no firmamento noturno por refletir mais as nuances avermelhadas do sol, que recém se pôs. Esta coloração avermelhada está também associada às condições atmosféricas modificadas por um tempo seco e quente.
  
Blood Moon – Lua de Sangue
Crédito/foto: FRASER CAIN – Universe Today


Antes do advento da eletricidade, os agricultores usavam a luz da lua cheia para fazerem o trabalho de colheita e plantio. Durante o período de lua cheia, eles podiam dedicar-se a fazer sua colheita de outono. Um mês depois deste período, acontece o evento chamado “Lua de Sangue”, ou "Lua do Caçador - Hunter's Moon (quadro abaixo)", período em que os caçadores saiam em grupo para abater aves migratórias na Europa, e também para estocarem seus alimentos para o inverno.

A lua cheia ocorre a cada 29 dias e meio, assim, uma “Lua de Sangue” ocorre cerca de um mês após a última lua cheia. A “Lua de Sangue” nada mais é do que uma lua cheia normal.

Tabela 1
Crédito: Wikipédia
No Brasil estes nomes são pouco difundidos


Durante os eventos de lua cheia a lua pode ficar 10% maior e 30% mais brilhante, mas isso, devido a sua maior ou menor distância da Terra. A “Lua de Sangue” na verdade ficará realmente vermelha, quando combinada com um eclipse lunar. Lembrando que eclipses lunares ocorrem duas vezes por ano, “Luas de Sangue” associadas aos eclipses lunares ocorrerão a cada seis anos ou mais.

Com relação à parte mística, mau agouro ou presságios de eventos religiosos (apenas a título de curiosidade) as Luas de Sangue estão relacionadas a profecias bíblicas.  O que achei de mais significativo deste evento astronômico, ligado às profecias, conecta-se ao nome de dois pastores cristãos (Mark Blitz e John Hagee). Hagee parece ter popularizado o termo Lua de Sangue, através de seu livro de 2013 “As 4 Luas de Sangue – Algo está prestes a mudar” onde aparece também o termo “tétrade” que significa, a ocorrência de quatro eclipses lunares totais e sucessivos, cada um, separado do outro, por seis meses lunares, ou seja, seis luas cheias. Claramente, no conteúdo pesquisado, o tema adentra estudos bíblicos, avançando por uma área em que o Projeto Quartzo Azul restringe-se a falar ou expor maiores idéias e pensamentos, por fugir do conteúdo proposto, portanto, me manifestarei apenas quanto ao fenômeno na visão astronômica, que a meu ver, nada tem de ruim, ou contém qualquer tipo de aviso apocalíptico. Apenas para citar números que aparecem nas pesquisas, no século 21 (entre 2001 e 2100) acontece um total de oito tétrades.  A última tétrade ocorreu em 2003 e 2004, e os próximos acontecerão em 2014 e 2015. Sendo ou não estes fenômenos astronômicos avisos de acontecimentos trágicos e apocalípticos, me reservo a não comentar, mesmo porque, não sou nenhum profeta ou adivinho, além do mais a astronomia é uma ciência sustentada por alicerces acadêmicos, não me permitindo contaminá-la com previsões místicas e religiosas.

Fiquem bem

Texto e pesquisa: Gério Ganimedes
Colaboração Especial: Rosana Ganimedes

Dedicado a minha amada e querida esposa, Rosana Ganimedes.

Gério Ganimedes
Direitos Reservados – Projeto Quartzo Azul©©




2 comentários:

  1. Achei muito importante sua colocação, porque estão fazendo um terror já, com estas luas...afff..

    ResponderExcluir
  2. Ola pessoal do projeto quartzoazul, gostaria de convidar-lhes para prestigiar o meu canal de filmes no youtube, trata-se de um canal mais especificamente direcionado para filmes de ficção e afins, portanto vou deixar o link aqui em baixo, valeu pessoal e salve a ufologia !!!!
    http://youtu.be/_di9OGMRBPA

    ResponderExcluir

LinkWithin

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...